Arquivo da Categoria: Clássicos

“A Morgadinha dos Canaviais” de Júlio Dinis

Título: A Morgadinha dos Canaviais

Autor: Júlio Dinis

Edição: Luso Livros

«A História de Henrique de Souselas, órfão rico residente em Lisboa, que aborrecido com o tédio da sua vida citadina, resolve ir repousar a uma aldeia minhota em casa da sua tia Doroteia. Aí se restabelece e conhece Madalena, a bela, elegante, inteligente e enérgica “morgadinha”, e apaixona-se por ela. No entanto, este amor não é correspondido, apesar de todos os seus avanços.»

“As Pupilas do Sr. Reitor” de Júlio Dinis

Título: As Pupilas do Sr. Reitor

Autor: Júlio Dinis

Edição: Luso Livros

«A história dos amores e dos desencontros das órfãs Clara e Guida educadas por um velho pároco, no cenário da vida campestre portuguesa do século XIX. Cenário este, povoado por personagens cuja bondade só é maculada pelo moralismo quase ingénuo de “comadres intriguistas” que contribuem para o conflito amoroso.»

“Uma Família Inglesa” de Júlio Dinis

Título: Uma Família Inglesa

Autor: Júlio Dinis

Edição: Luso Livros

«Uma Família Inglesa conta a história de amor conflituosos entre Carlos Whitestone – filho de uma família de comerciantes ingleses – e de Cecília, a filha do guarda-livros na casa comercial dos Whitestone, num romance que tem como pano, a cidade do Porto do século XIX e que tem um um enredo similar ao da Cinderela.»

“Os Maias” de Eça de Queirós

Título: Os Maias

Autor: Eça de Queirós

Edição: Luso Livros

Formatos: epub e pdf

«A história de três gerações da família Maia, uma família aristocrata da sociedade Lisboeta da segunda metade dos séc. XIX. Uma obra que serve de pretexto para o autor fazer uma crítica à situação do país a nível político e cultural e à alta burguesia lisboeta oitocentista, por onde perpassa um humor (ora caricatural, ora satírico) que configura a derrota e o desengano de todas as personagens.»

“Viagens na Minha Terra” de Almeida Garrett

Título: Viagens na Minha Terra

Autor: Almeida Garrett

Edição: Luso Livros

Formatos: epub e pdf

«A famosa e verídica história da viagem do escritor Almeida Garrett rumo a Santarém para uns dias de descanso na casa do seu amigo, Passos Manuel. Enquanto viaja, também a sua mente vagueia pelo passado, pelo presente e pelo futuro, fazendo descrições de sítios e lugares que hoje já não se descobrem ao mesmo tempo que analisa o Portugal dos inícios de mil e oitocentos. Análise essa que acaba por se cruzar com a história trágico-romântica da “menina dos rouxinóis”.»

Almeida Garrett

“Amor de Perdição” de Camilo Castelo Branco

amorperdicaoTítuloAmor de Perdição

Autor: Camilo Castelo Branco

Edição: Agrupamento de Escolas de Rio de Mouro

Formatos: epub

O romance mais famoso de Camilo Castelo Branco, referência incontornável da literatura portuguesa. Obra emblemática do Romantismo português, Amor de Perdição conta-nos a história de Simão Botelho e Teresa de Albuquerque, dois jovens que pertencem a famílias distintas de Viseu. Entre ambos nasce um amor que são obrigados a calar, pois as suas famílias são rivais e tudo farão para os separar. Mas os amantes acabarão por mostrar através do mais dramático dos actos, que nada, nunca, destruirá o sentimento que os une.

“A Brasileira de Prazins” de Camilo Castelo Branco

TítuloA Brasileira de Prazins

Autor: Camilo Castelo Branco

Edição: Luso Livros

Formatos: epub e pdf

«A Brasileira de Prazins é uma novela camiliana que conta a história de Marta de Prazins, chamada de “A brasileira” pois está prometida, pelo pai, a um tio que fez fortuna no Brasil, apesar de ter José Dias como seu apaixonado.
Novela considerada uma das melhores obras de Camilo e tida como a sua última grande obra. É uma obra já profundamente influenciada pelo movimento do realismo que se instalara em Portugal no último período da vida do autor mas que, ao contrário de outras obras por ele realizadas, em que “experimenta” o realismo, esta surge como menos satírica e mais séria, servindo para dar um retrato verdadeiro das condições sociais, políticas e económicas do Minho no período do pós-Lutas liberais no século XVIII. É pois uma novela integrada a sua série denominada “Novelas do Minho”, sendo a única de estilo realista-naturalista.»