Arquivo da Categoria: Gil Vicente

“Auto da Alma” de Gil Vicente

autodaalma

Título: Auto da Alma
Autor: Gil Vicente
Edição: Agrupamento de Escolas de Rio de Mouro
1.ª edição: fevereiro de 2014
Obra recomendada para a educação literárias nas metas da disciplina de português do Ensino Secundário.
Argumento:
«Assi como foi cousa muito necessária haver nos caminhos estalagens, pera repouso e refeição dos cansados caminhantes, assi foi cousa conveniente que nesta caminhante vida houvesse uma estalajadeira, pera refeição e descanso das almas que vão caminhantes pera a eternal morada de Deus. Esta estalajadeira das almas é a Madre Santa Igreja, a mesa é o altar, os manjares as insígnias da Paixão. E desta perfiguração trata a obra seguinte.»

“Auto de Inês Pereira” de Gil Vicente

inespereiraTítulo: Auto de Inês Pereira

Autor: Gil Vicente

Edição: Agrupamento de Escolas de Rio de Mouro

Coleção: Clássicos da Literatura

1.ª edição: novembro de 2013
«A seguinte farsa de folgar foi representada ao muito alto e mui poderoso rei D. João, o terceiro do nome em Portugal, no seu Convento de Tomar, era do Senhor de MDXXIII. O seu argumento é que porquanto duvidavam certos homens de bom saber se o Autor fazia de si mesmo estas obras, ou se furtava de outros autores, lhe deram este tema sobre que fizesse: segundo um exemplo comum que dizem: mais quero asno que me leve que cavalo que me derrube. E sobre este motivo se fez esta farsa.»

“Auto da Barca do Inferno” de Gil Vicente

Título: Auto da Barca do Inferno

Autor: Gil Vicente

Edição: Luso Livros

Formatos: epub e pdf

«O que acontece à alma depois da morte do corpo? É com esta interrogação que Gil Vicente, o pai do teatro português, constrói a sua peça satírico-cómica com pretensões moralizantes, em que se mostra o julgamento dos pecadores no pós morte. Este julgamento é feito à beira de um profundo braço de mar onde aguardam dois barqueiros: um que conduz a Barca da Glória (o Anjo), outro a Barca do Inferno (o Diabo). Por esse porto passarão diversas almas que irão expor o que fizeram em vida para se decidir assim em que barca têm direito a entrar.»

“Auto da Índia” de Gil Vicente

Título: Auto da Índia

Autor: Gil Vicente

Edição: Luso Livros

Formatos: epub e pdf

«Apresentado pela primeira vez no ano de 1509, em Almada, perante a rainha D. Leonor, foi uma das primeira peça de teatro da Península Ibérica a ter uma intriga, ao invés de ser apenas um mero monólogo teatral recitado por um individuo, como era feito até então nas cortes palacianas. Foi também a primeira “Farsa” escrita por Gil Vicente, ou seja, uma sátira social que mistura comédia e crítica aos maus costumes. Tendo como pano de fundo os descobrimentos e as suas consequências sociais, apresenta uma história cómica onde denuncia as práticas de adultério cometidas pelas esposas dos navegadores e marinheiros que, na longa ausência dos maridos, não tinham pudor nenhum em traí-los.»